Lixeiro é você!

Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte)

É isso mesmo. Lixeiro é você. Sou eu. Somos todos nós, que produzimos lixo. Os trabalhadores que recolhem o seu, o meu, o nosso lixo são “coletores de lixo”, com muito orgulho e sem nenhuma vergonha. Aliás, se há alguém que deve ter vergonha de alguma coisa são todos aqueles que não têm um pingo de consideração com esses trabalhadores; que os tratam com indiferença e até desprezo; que jogam lixo nas ruas, praças, jardins, mesmo com a lixeira estando ao lado.

Na maioria das vezes, só nos damos conta da importância desses profissionais e de quanto eles nos fazem falta quando, por algum motivo, o nosso lixo vai ficando acumulado, dia após dia, na lixeira em frente de casa. Aí reclamamos do mal cheiro, dos animais incovenientes que começam a aparecer em busca de alimento fácil e, finalmente, nos desesperamos porque simplesmente não sabemos lidar com nossos próprios rejeitos. Afinal, estamos tão acostumados a colocar o lixo do lado de fora, fechar a porta e, algum tempo depois, como que por mágica, ver que ele desapareceu, que quando isso não acontece ficamos apavorados e sem saber o que fazer. Não é asim?

Você conhece os coletores de lixo do seu bairro? Sabe a que horas eles recolhem o seu lixo? se preocupa com eles? com a segurança deles? entrega os sacos em suas mãos? cumprimenta-os? agradece-os? oferece-lhes um copo de água?

Se você tem pelo menos uma dessas atitudes acima, está de parabéns. A maioria das pessoas, na verdade, simplesmente os ignora. Isso, quando não os humilha, tapando o nariz ao passar por eles. É verdade, o cheiro impregnado em suas roupas não é lá dos mais agradáveis. Mas, esse cheiro é  parte proveniente do lixo que você produziu e que, graças a eles (e não à mágica), desaparecerão da frente de sua casa, todos os dias.

Pensando nos desafios que esses profissionais enfrentam diariamente (faça chuva ou faça sol), a Fundacentro produziu o vídeo “Um novo olhar sobre os coletores de lixo”, em que apresenta uma abordagem psicossocial dos problemas mais comuns vividos pela categoria, ao mesmo tempo em que propõe uma reflexão sobre as nossas responsabilidades, enquanto geradores de lixo, para com a sociedade e com o meio ambiente. Assista ao vídeo e reflita: como anda sua relação com os coletores de lixo do seu bairro?

E se, a esta altura do texto, você ainda duvida que exista esse tipo de atitude preconceituosa e cruel em nosso país, assista ao vídeo abaixo (disponível no youtube) e reflita:

Na próxima vez em que você quebrar um copo, descartar uma lata de conserva aberta ou uma agulha ou lâmina de barbear no cesto de lixo, lembre-se de que os coletores não têm olhar de Raio-X. Embrulhe as partes perfurocortantes em jornais velhos, de forma que não possam machucar as pessoas que irão manipular seu lixo. E quando chegar o final do ano, nada de presentear os coletores com aquela garrafa de vinho que você ganhou da empresa. Por melhor que seja sua intenção, lembre-se que o álcool é uma droga (lícita) e que pode causar sérios problemas, especialmente para pessoas que já são dependentes. Quer fazer um agrado? seja-lhes grato o ano inteiro. Respeito e reconhecimento são coisas que esses profissionais merecem e não nos custa nada.

Para refletir:

“Somos responsáveis por aquilo que fazemos, o que não fazemos e o que impedimos de ser feito.” (Albert Camus)

Se você gostou desse post, deixe um comentário. Dê sua opinião. Participe!

Anúncios
Esse post foi publicado em Artigos, Vídeo e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

26 respostas para Lixeiro é você!

  1. Olá Amanda!

    Visão categoricamente correta neste excelente artigo.
    Parabéns!
    Irei publicá-lo no Duniverso, com os devidos créditos é claro, caso não se oponha.

    Grande abraço!

  2. Filipe disse:

    bela atitude, eu desde pequeno aprendi a não jogar lixo fora da lixeira. E passo isso para todos meus sobrinhos.

    existem atitudes tão simples, uma por exemplo é cobrir com jornal os cacos de vidros. Mas pouco fazem.
    e alguns arrogantes vem com o papo” pobre é foda, joga lixo nma rua e depois reclama das inundação”
    O que mais me issita é jogar a culpa no outro, e vejo muita gente em carrão jogando lixo pela janela, mandando o filho jogar, e se alguem fala algo vem a pior de todas as deculpas: “faço isso para que esses coitados tenham o que limpar e assim terão emprego” essa foi dita a mi uma vez que perguntei ao meu colega pq ele tinha jogado o cigarro pela janela.

    • Olá Filipe,

      É bom contar com pessoas de atitude como você. E você está no caminho certo. Educando desde cedo os pequenos contribuímos para criar adultos mais responsáveis. Você não imagina como é difícil mudar a cabeça-dura de algumas pessoas….rs. Mas, como diz o velho ditado: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura. É preciso persistência. A mudança vem, nem que seja com sofrimeeeeeento…rs. Parabéns pela atitude consciente.

  3. diogo disse:

    belíssimas reflexão aqui! me fez pensar muito aqui

  4. Paulinho disse:

    Olá Amanda![

    Parabéns pelo texto guria, foi corretíssima em todas as tuas colocações.

    Sem dúvida vou passar mais vezes por aqui, e se der de uma passadinha no meu blog: http://demoniosdadecada.blogspot.com/

    Sucesso e fique com Deus!

  5. Rubi disse:

    Sempre com temas atuais e necessários; afinal de contas, do que adianta jogar toda a culpa no governo se nós mesmos fazemos a coisa errada? Acho que se cada um fizesse sua parte, certamente, estaríamos numa condição melhor.

  6. Pingback: Lixeiro é você! | Blog Teia

  7. Blog Teia disse:

    olá Amanda.
    Adorei o post., o descaso com os coletores já começa pelo governo que mantém esses trabalhadores com um salário baixíssimo!!!
    Post divulgado no Teia.
    Até mais

    • Olá Amigo,

      Você tem muita razão. Além dos baixos salários, o próprio governo – que cobra as normas de segurança do trabalho das empresas privadas, acaba se esquecendo de cuidar da segurança dos seus funcionários. Aqui onde eu moro, esse tipo de serviço está sendo privatizado. A gente percebe as melhorias imediatamente. Até o caminhão de coleta parece mais limpo…rs. Acredito que esse é um bom caminho. E nós podemos contribuir para essas melhorias, respeitando e valorizando mais esses trabalhadores.
      Um grande abraço e obrigada pela divulgação.

  8. Palhaço disse:

    inacreditavel que exista pessoas que trabalhem tanto com salarios baixissimos…

  9. thaiyogaup disse:

    Parabens pelo post!!!Adoreii impressionante como concordo com vc acho que qualquer profissão é profissão não é pq a pessoa é coletor de lixo que é menos importante que um advogado por exemplo acho q pode acontecer até em alguns casos o coletor pode ser mais importante que o advogado…Acho que devemos respeitar acima de tudo essas pessoas que nós fazem tão bem tirando humildemente sem reclamar esses dejetos que deixamos na frente de casa….Amei seu post!!Aproveito para convidá-la a dar uma passadinha pelo meu blog http://thaiyogaup.wordpress.com
    namaste!!! e tudo de bom a vc sempre!!!

    • Olá Thai, que bom ler seu comentário e perceber que você concorda comigo neste ponto. As pessoas, por vezes, são muito cruéis e preconceituosas e, constantemente, esquecem-se de ser gratas. Muitos trabalhadores passam por elas sem serem vistos, porque, para elas, suas profissões são indignas. Elas fecham seus olhos para o que acham feio e tapam o nariz para o que acham fedido. Mas, basta uma pequena desordem no seu mundinho perfeito para se desesperarem. Fico feliz por você não ser uma dessas pessoas. Um grande abraço e obrigada pela participação.

  10. Lendo o seu artigo, apercebo-me que só eventualmente penso nesses homens e mulheres, ou quando eventualmente eles faltam ao trabalho (uma greve, por exemplo) ou quando, de madrugada, encontro um camião na rua. Lamentável.

    Não é porque pense que a profissão de coletor de lixo seja mais ou menos importante que qualquer outra. É simplesmente porque o seu trabalho se faz longe dos nossos olhos. São eles que mantêm a cidade limpa, tão silenciosamente, que nem nos apercebemos que as ruas e os contentores não surgem limpos por magia.

    Parabéns pelo tema do artigo! Abs.

    • Olá Letitia,

      Certamente não é só por você que eles passam despercebidos. E eu tenho consciência de que, como você, muitas outras pessoas não o fazem por desprezo.

      Às vezes, acabamos nos tornando insensíveis a tudo que não nos atinge diretamente. E, em meio aos turbilhões de acontecimentos cotidianos, esses trabalhadores acabam se tornando invisíveis aos nossos olhos.

      No entanto, devemos procurar despertar em nós essa sensibilidade que noz permite perceber o outro. Como escreveu Saramago “Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara”. Não vamos nos esquecer da “responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam”.

      Um grande abraço e muito obrigada por enriquecer a conversa com suas experiências. Um ótimo final de semana para você, viu?

  11. Essa postagem é sobre um tema muito importante! A maioria das pessoas não se poem no lugar das outras… Colocam o lixo de qualquer forma, em qualquer lugar, com qualquer coisas dentro dos sacos. Se esquecem que os coletores são seres humanos, podem se machucar com lixo mal colocado, e também colocam o saco com muito peso, e não pensam que o coletor corre o dia todo, e também pode vir a sentir dor nas costas por causa do excesso de peso. Já coletei lixo e seu como é ruim… Vamos minimizar o desgaste dos coletores, é só fazer a sua parte!

    • Olá meu amigo prevencionista,

      Você, mais do que eu, pode descrever, com propriedade, as dificuldades enfrentadas diariamente por esses profissionais.

      Eu mesma, confesso, nem sempre tive essa consciência não. Como comentei com a colega acima, ficamos tão absorvidos, por vezes, pelos turbilhões dos acontecimentos cotidianos, que acabamos nos tornando um pouco insensíveis ao outro.

      E não é um problema só dos grandes centros não. Eu ouvi tristes experiências, não faz muito tempo, de coletores em um município no interior de Goiás.

      Felizmente, com a criação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, essa realidade está prestes a mudar. Todos nós teremos de colocar a mão na massa, quero dizer, no lixo.

      Um grande abraço e obrigada pela participação e pela enriquecedora troca de experiência.

  12. dupirollo disse:

    Olá minha querida amiga Amandita, boa noite!!!
    Belo texto minha amiga, uma bela homenagem e conscientização, adorei!!!
    Minha amiga, você está absolutamente certa, não importa o que a pessoa faça para sobreviver, importa que devemos tratá-lo muito bem, pois é nosso irmão… somos sim, verdadeiros lixeiros e devemos prestar muita atenção no que produzimos e como cuidamos… a segurança do trabalhador sempre em primeiro lugar é muito simples prevenir… Minha amiga, estou aqui comentando e me veio a cabeça um outro tipo de lixo que devemos tomar muito cuidado, o lixo emocional, sentimental, dos vícios do egoísmo, orgulho e das más condutas… este também está abalroando o nosso meio… e é justamente o que causa o descaso e até possíveis maus tratos com coletor de lixo e outros profissionais…
    Parabéns pela excelente matéria, adorei minha querida amiga!!!
    Desejo-lhe um excelente e abençoado fim de semana!!!
    Tenha uma linda noite!!!
    Abraços com carinho e muita paz!!!

    • Olá Luis, meu amigo.

      Você tocou em um ponto crucial. Diz a sabedoria popular que cada um oferece aquilo que tem.

      Quem não tem compaixão, respeito pelo próximo ou educação não poderá se comportar de outra forma, senão com desprezo e indiferença pelo outro. Infelizmente, o mundo está cheio desse tipo e pessoas.

      Mas, também há gente como você e como os colegas que aqui deixaram um depoimento. Esses exemplos, sim, precisam ser multiplicados. E acho que, de alguma forma, estamos contribuindo para que isso aconteça.

      Obrigada pela participação.
      Um excelente final de semana para você.
      Abraços!!!!

  13. Interessante, eu escrevi um texto falando sobre isso há algum tempo, parece que em todas as culturas as pessoas que trabalham com a limpeza, são tratadas como inferiores. Penso que só numa época como estamos vivendo agora é possível começar uma campanha para mudar a forma de vermos estes trabalhadores. E isto é um avanço!

    Abraço!

    Meus textos que falam sobre isso:

    “Apenas Tarefas”: http://multiplasrealidades.blogspot.com/2010/04/apenas-tarefas.html

    E “Dalits” – http://multiplasrealidades.blogspot.com/2010/04/dalits.html

    • Olá Nanda,

      Fiquei feliz em receber seu comentário em meu artigo “Lixeiro é você”, no blog “Saúde, Segurança do Trabalho e Meio Ambiente”.

      É bom saber que não sou a única a se indignar com o tratamento recebido pelos coletores de lixo em nosso país.

      Muitas vezes, agimos de forma inconsciente, pois nos acostumamos a enxergar apenas o que nos convém. No entanto, é inegável o preconceito, ora velado, ora explícito, sofrido por esses trabalhadores.

      Não posso compactuar com esse tipo de postura. Por isso decidi escrever o artigo. Que bom que gostou.

      Um grande abraço e parabéns pelo seu texto. Demonstra que você é uma pessoa que se sensibiliza com as questões sociais que nos cercam e se mobiliza, a fim de transformar, de alguma forma, essa realidade. É isso que significa ser cidadão.

  14. TiagoTec disse:

    Amanda, será que vc poderia fazer um post sobre EPI’S obrigatórios para esse tipode coletores, que trabalham em conjunto com o caminhão pegando, depositam no veículo e depois no aterro. Muito Obrigado. Parabéns pelos textos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s